quinta-feira, 7 de março de 2013

Agora morrerei.

   Não é fácil olhar nos teus olhos, não é fácil olhar tua beleza tão distante.
Foto retirada de http://musica.terra.com.br/planetaterra/
Por hoje desejei viver, viver em paz, estar sentada na varanda de nossa casa, debaixo daquela árvore onde selamos os nossos nomes lado a lado, por hoje desejei você aqui, olhando para o sol com os seus óculos escuros e seu sorriso pertinente.
   Ultimamente o nosso cachorro, aquele que você chamava de traiçoeiro, está tão triste que mal consegue andar, e eu, deitada sob nossa cama choro de saudade, um choro que arde, que não consegue acabar. Fechei as cortinas e bloquei a entrada do luar, essas noites quando a lua está tão radiante, me lembro das nossas noites de amor, do blues e jazz, do seu corpo me envolvendo, de quando me tirava para dançar. Agora, não escuto passos pela casa ou gargalhadas de felicidade, não espero que alguém venha me visitar, é nostálgico e deprimente, o que você sonhava não está em mim.
   Me pergunto o que restou de mim, o que aconteceu comigo, deixo as pessoas irem e o tempo passar, mas nunca vou atrás do que realmente quero. Eu quero você e todas as ilusões que existirem sob a Terra. Me pergunto o que farei e quais serão as minhas novas ideologias, o meu estilo de vida... não terei as mesmas alegrias, provavelmente não terei alegrias, apenas esperarei a morte me consumir.

4 comentários:

Cássia Tamires disse...

Me deixou sem palavras. Muito lindo mesmo, e triste. =/

Esteffani Fontes disse...

Nossa.... sem comentários.
acho que viver faz parte, esperar a morte ser consumida ou consumir-se .... dificil;

@esteffanifontes, do blog Aos Dezesseis Anos
aosdezesseisanos.blogspot.com.br

Larissa disse...

Cássia, essa foi minha ideia hauhau tirar palavras!!

Larissa disse...

Fani, o que você disse é a mais pura verdade, sempre estamos de certa forma esperando algo morrer! :((