segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Perfurar

 Arrumei, desarrumei. Amei, me desarmei. Desamei, me armei.
 De todos os verbos, ou palavras, ou sentimentos, o pior foi apagar a luz por segundos e viver uma paixão de apenas segundos eternos, o pior foi ter me sentido tão amada e logo após a pessoa mais desprezada de todos os tempos.
 Não sinto mais as mesmas mãos que apagaram as luzes, não sinto os mesmos olhos que viram o brilho intenso de um sol dourado, mas espere, vejo a mesma pessoa diante do espelho e não consigo entender o por que de não poder me amar, espere, eu posso enxergar o sol que você me apresentou, apenas não posso mais tocá-lo.
 Me apaixonei por segundos eternos, me apaixonei por palavras e combinações de coragem, coragem de um otário qualquer, alguém que não é suficiente para amar a si mesmo e precisa de alguém para amar por si. Ironia me apaixonar fácil assim, fazer de mim um poço com fim de estacas onde posso te perfurar por inteiro.

2 comentários:

Islana Pimentel disse...

Nossa Larissa, você escreve bem demais!Futura escritora, beijos <3

http://lepinkmoustache.blogspot.com.br/

Larissa disse...

Obrigada Islana, não sabe como é bom ver isso! rsrs

Beijos sz'